WPC 2005

World Press Cartoon 2005

Array ( [Grand Prix] => Array ( ) [Gag] => Array ( ) [Caricature] => Array ( ) )
  • 1

    0

  • 1

    0

  • 2

    0

  • 3

    0

  • 1

    1

  • 2

    0

  • 3

    0

  • 1

    0

  • 2

    0

  • 3

    0

  • 1st prize - Cristobal Reinoso

    Grand Prix

    Virtual Indian

    Argentina

    http://worldpresscartoon.com/wp-content/uploads/2017/06/11.jpg

  • 1st prize - Kapusta

    Gag

    Evolution

    Polónia

    http://worldpresscartoon.com/wp-content/uploads/2017/06/5.jpg

  • 2st prize - Tettamanti

    Gag

    Politician

    Hungria

    http://worldpresscartoon.com/wp-content/uploads/2017/06/6.jpg

  • 3st prize - Pawel Kuczynski

    Gag

    Businessman In Jail

    Polónia

    http://worldpresscartoon.com/wp-content/uploads/2017/06/7.jpg

  • 1st prize - Agustin Sciammarella

    Caricature

    Viktor Yushenko

    Itália

    http://worldpresscartoon.com/wp-content/uploads/2017/06/8.jpg

  • 2st prize - Cau Gomez

    Caricature

    Ronaldinho

    Brasil

    http://worldpresscartoon.com/wp-content/uploads/2017/06/9.jpg

  • 3st prize - André Carrilho

    Caricature

    Billie Holiday

    Portugal

    http://worldpresscartoon.com/wp-content/uploads/2017/06/10.jpg

  • 1st prize - Bromley

    Editorial

    After Arafat

    Reino Unido

    http://worldpresscartoon.com/wp-content/uploads/2017/06/2.jpg

  • 2st prize - Bruce MacKinnon

    Editorial

    Missing Link

    Canadá

    http://worldpresscartoon.com/wp-content/uploads/2017/06/3.jpg

  • 3st prize - Gióx

    Editorial

    US Democracy

    Itália

    http://worldpresscartoon.com/wp-content/uploads/2017/06/4.jpg

  • António Antunes

    UM SALÃO PARA CRESCER “Também aqui o caminho se faz caminhando. Na primeira edição do World Press Cartoon, retirámos muitos ensinamentos das diferentes sensibilidades reunidas no júri e das questões operacionais que sempre ocorrem em qualquer projecto novo. No entanto, também confirmámos alguns pontos de vista. A constituição do júri – uma combinação de cartoonistas consagrados com outros profissionais da imprensa e investigadores do humor gráfico – revelou-se a mais ajustada a um certame que existe para celebrar as melhores obras e os melhores profissionais em cada ano. De tudo isso se fará a síntese. O regulamento da próxima edição receberá pequenos ajustamentos que tenham em conta a experiência de 2005 e aperfeiçoaremos as metodologias de selecção e votação, de forma a construirmos o caminho para um World Press Cartoon sempre em evolução, sempre mais forte.”

    António Antunes viu impresso o seu primeiro desenho editorial no jornal diário lisboeta “República” em 1974, o mesmo ano em que iniciou uma colaboração regular com o semanário “Expresso”, onde ainda hoje semanalmente publica os seus cartoons. Os seus trabalhos são regularmente publicados no semanário francês Courrier International e distribuídos nos Estados Unidos por uma agência internacional. Em 1983 foi distinguido com o Grande Prémio no “XX International Salon of Cartoons – Montreal”, Canadá, e em 1986 venceu o 1º Prémio de cartoon editorial do mesmo salão. Entre outras distinções, recebeu o Grande Prémio de Honra do “XV Festival du Dessin Humoristique” de Anglet, França, em 1993, e o Prémio Internazionale Satira Politica (ex-aequo), em Forte Dei Marmi, Itália, em 2002. Autor de vários livros de cartoon editorial e caricatura, presidiu ao júri da primeira edição do World Press Cartoon, salão de que é director.

  • Chico Caruso

    QUERO VOLTAR! “A minha experiência como membro do júri em salões de humor permite-me supor que o primeiro World Press Cartoon já inovou a tecnologia dos mesmos. Três dias para o julgamento dos trabalhos parecem ser o ideal: no primeiro seleccionam-se os prováveis candidatos, no segundo dia premia- -se, e no terceiro discute-se tudo o que foi feito, tendo a possibilidade de tentar corrigir algumas injustiças que sempre ocorrem nos julgamentos humanos de qualquer espécie, inclusive os de humor. E à noite, como se sabe, as coisas crescem; os desenhos mostram-se, na nossa memória, com uma força individual que podem não mostrar quando olhados em conjunto... A constituição do júri com maioria de profissionais do cartoon - assim como a exigência de se anexar a publicação original do mesmo e a técnica utilizada em caso de arte produzida em computador - vão no sentido de, em última instância, se valorizar a profissão e os seus profissionais. Não digo que fiquei totalmente satisfeito com as premiações porque isso só aconteceria se o júri pensasse exactamente como eu penso, o que nunca consegui em nenhum dos salões que participei. Como disse Sábat, outro egrégio membro do júri, “democracia seria óptimo se conseguíssemos impedir os outros de falar...”. Parabéns à presidência da Câmara de Sintra e ao António, Rui Paulo da Cruz e a todos que trabalharam no 1º World Press Cartoon. Espero voltar o ano que vem, como júri ou premiado do 2º World Press Cartoon...” Chico Caruso é formado em arquitectura pela Universidade de São Paulo, mas dedica-se em exclusividade aos temas de humor desde 1967, ano em que publicou os primeiros cartoons na “Folha da Tarde”. É desde 1984 cartoonista residente da primeira página do diário “O Globo”, do Rio de Janeiro. O seu cartoon diário é ainda animado para o mais importante telejornal brasileiro, o Jornal Nacional da TV Globo. Em 1976 ganhou o 1ºPrémio de Humor do 3º Salão de Piracicaba.

    Chico Caruso é formado em arquitectura pela Universidade de São Paulo, mas dedica-se em exclusividade aos temas de humor desde 1967, ano em que publicou os primeiros cartoons na “Folha da Tarde”. É desde 1984 cartoonista residente da primeira página do diário “O Globo”, do Rio de Janeiro. O seu cartoon diário é ainda animado para o mais importante telejornal brasileiro, o Jornal Nacional da TV Globo. Em 1976 ganhou o 1ºPrémio de Humor do 3º Salão de Piracicaba. Tem muitos livros publicados, entre os quais “Pablo, mon Amour”, uma biografia de Pablo Picasso 26 caricaturas. É autor da peça teatral “O Amigo da Onça”, que conta a história de Péricles Maranhão na revista “O Cruzeiro”, nos anos 50. Integra como vocalista o "Conjunto Nacional", formado pelos humoristas Paulo Caruso, Luis Fernando Veríssimo, Aroeira e Redi”.

  • Hermenegildo Sábath

    CERTAME COM CARÁCTER “Participar no World Press Cartoon, na qualidade de membro do júri, foi uma satisfação permanente. Serviu, em primeiro lugar, para confirmar que os portugueses são pessoas dignas, respeitosas e respeitáveis, implacáveis defensores das regras e que não cedem a ideias feitas ou a preconceitos. Neste contexto, as deliberações foram tomadas de forma minuciosa, olhando caso a caso, como deve ser, e evitando contrariar tanto o espírito como a letra do regulamento. As obras premiadas, todas de alto nível, alcançaram as suas distinções por força do voto dos membros do júri e são um exemplo do carácter deste certame, que aspira a perdurar e não a ser efémero.”

    Nascido no Uruguai, Hermenegildo Sábat vive e trabalha na Argentina, sendo um dos mais prestigiados cartoonistas da imprensa sul-americana. Publicou o seu primeiro desenho em 1945, colaborando desde 1949 com títulos da grande imprensa. Tem trabalhos publicados em quase todos os países das três Américas e da Europa. Ameaçado e perseguido pela ditadura militar argentina, viria a ser distinguido pela Universidade de Columbia (Nova Iorque), exactamente pelo trabalho que produziu e pelos desenhos que publicou durante os anos da ditadura. Publicou 25 livros e expôs em vários países desenho e pintura.

  • Juan García Cerrada

    UM SALÃO PARA CARTOONISTAS PROFISSIONAIS “O humor gráfico editorial e a caricatura são um elemento essencial da imprensa. E não há dúvida de que se vem observando um enorme vazio na hora de reconhecer e valorizar os profissionais deste sector. O World Press Cartoon fazse eco dessa necessidade e surge no cenário profissional para se converter na convocatória más importante para os profissionais do cartoon editorial, da caricatura ou do desenho de humor em todo o Mundo, assim dando o devido reconhecimento aos profissionais de um sector que esteve na sombra durante demasiado tempo. O certame viu recompensada a seriedade com que foi organizado pela participação de um grande número dos melhores autores de todo o mundo. Por todo isso, há que aplaudir a iniciativa e desejar-lhe o melhor para as próximas edições.” J.

    Juan García Cerrada é investigador académico, director do Programa de Humor Gráfico da Fundación General de la Universidad de Alcalá, Espanha, sendo nessa qualidade responsável pela revista Quevedos, publicação informativa dedicada ao desenho de humor. Organiza a Muestra Iberoamericana de Humor Gráfico e o Prémio Ibero-Americano de Humor Gráfico "Quevedos" que é patrocinado pelos ministérios da Cultura e dos Assuntos Exteriores e Cooperação de Espanha. Coordena a colecção Historia del Humor Gráfico Iberoamericano, editada pela Editorial Milenio e pela Fundación General de la Universidad de Alcalá.

  • Pascal Phillipe

    VAMOS RIR JUNTOS… “Desenho político, caricatura ou desenho de humor. Mais de 150 eventos, em mais de 40 países, lhes são anualmente dedicados. Mas, quantos leitores de jornais poderiam, espontaneamente, citar pelo menos um? Poucos, sem dúvida. Os eventos que conseguem conquistar um público, quando a exposição passa a dimensão de uma sala de aula, não são os mesmos que os autores frequentam. Muitas destas iniciativas têm recursos bem limitados. Outras, anunciadas como periódicas, entram em eclipse. Por outro lado, que há de comum entre o Velocartoon da Lituânia e o prémio Pulitzer, o famoso galardão norte- -americano consagrado aos cartoonistas, tal como aos outros profissionais do jornalismo? Têm, pelo menos, uma coisa em comum: a sua existência não ultrapassa as características de um clube: a audiência, a soma dos interesses dos seus membros. O número e a dispersão geográfica dos eventos (considerando todos os continentes) testemunham, no entanto, uma expansão. À qual falta um eixo, uma referência, para não dizer um sentido. Ao decidir baptizar o salão que criaram World Press Cartoon, António Antunes e os seus companheiros nesta jornada fixaram a si mesmos um programa. Que equivale a um compromisso. A fonte inspiradora é o World Press Photo, a referência profissional e internacional do

    Pascal Philippe, jornalista, é o responsável pelo departamento de fotografia e desenho do jornal francês Courrier International, publicado em Paris pelo grupo Le Monde. Criador do departamento, Pascal Philippe logrou atrair para o semanário os melhores cartoonistas internacionais e fazer da publicação dos seus desenhos editoriais uma marca própria do Courrier. Pascal Phillipe orienta um curso de desenho de imprensa na Ecole Supérieure des Arts Graphiques (ESAG-Penninghen, Paris), instituição que foi historicamente a antiga Académie Julian.

  • Agustin Sciammarella

    Agustin Sciammarella

    Viktor Yushenko

    http://worldpresscartoon.com/wp-content/uploads/2017/06/8.jpg

  • Gióx

    Gióx

    US Democracy

    http://worldpresscartoon.com/wp-content/uploads/2017/06/4.jpg

  • André Carrilho

    André Carrilho

    Billie Holiday

    http://worldpresscartoon.com/wp-content/uploads/2017/06/10.jpg

  • Bromley

    Bromley

    After Arafat

    http://worldpresscartoon.com/wp-content/uploads/2017/06/2.jpg

  • Bruce MacKinnon

    Bruce MacKinnon

    Missing Link

    http://worldpresscartoon.com/wp-content/uploads/2017/06/3.jpg

  • Cau Gomez

    Cau Gomez

    Ronaldinho

    http://worldpresscartoon.com/wp-content/uploads/2017/06/9.jpg

  • Cristobal Reinoso

    Cristobal Reinoso

    Virtual Indian

    http://worldpresscartoon.com/wp-content/uploads/2017/06/11.jpg

  • Kapusta

    Kapusta

    Evolution

    http://worldpresscartoon.com/wp-content/uploads/2017/06/5.jpg

  • Pawel Kuczynski

    Pawel Kuczynski

    Businessman In Jail

    http://worldpresscartoon.com/wp-content/uploads/2017/06/7.jpg

  • Tettamanti

    Tettamanti

    Politician

    http://worldpresscartoon.com/wp-content/uploads/2017/06/6.jpg